No intuito de evitar maiores problemas e prejuízos financeiros, como o ocorrido em 2014 para grande parte dos transportadores envolvidos com o agronegócio (confira aqui a notícia na íntegra) , as empresas do setor e entidades ligadas ao mesmo desenvolveram um balizador de custos de fretes que servirá como referência nas negociações para a próxima safra.

No ano passado, várias empresas projetaram uma safra recorde e, em conjunto com a baixa taxa de juros disponibilizada pelo BNDES, aproveitaram o momento para aumentar o patrimônio. Contudo, as previsões não se confirmaram e empresários e autônomos amargaram grande déficit, alguns obrigados até a saírem do setor, inchado por conta da alta atratividade.

Segundo Miguel Mendes, diretor Executivo da ATC (Associação dos Transportadores de Cargas do Mato Grosso), no ano de 2014, empresas de outros setores e até profissionais liberais ingressaram no transporte rodoviário de cargas.

Neste sentido, o objetivo do balizador é ser utilizado como referencia para o dono do caminhão no momento da negociação, buscando, segundo Mendes, “uma atitude emergencial de sobrevivência de um setor importante da economia, que já não estava mais suportando atuar com tarifas de fretes que não cobriam nem ao menos os custos de manutenção dos caminhões”, afirma.

Confira no link abaixo, a tabela completa apresentada no portal Transporta Brasil, com os valores de fretes por rota para o ano de 2015 e seus respectivos origem / destino:

Fonte: Portal Transporta Brasil