Soluções em tecnologia permitem o transportador ter maior controle sobre o descanso dos motoristas

Existem muitos fatores ligados a uma viagem realizada por um motorista de caminhão para realizar o transporte de uma carga: condições climáticas, condições do caminhão, condições da carga, das estradas, da empresa de transporte e condições do próprio motorista.

A Lei que regulamenta o trabalho do motorista de caminhão prevê diversos benefícios e a forma correta de aplicá-los para estes profissionais. A falta de sua aplicação cria passivos trabalhistas para a organização, que precisa estar atenta aos detalhes e gerenciar corretamente as diárias. Até porque, os próprios motoristas, muitas vezes pelo anseio de se tornarem mais produtivos, desrespeitam aquilo que foi criado para os protegerem.  .

Benefícios ao motorista

Quando diz respeito as horas de trabalho, a lei proíbe que o motorista fique ao volante por mais de 4 horas ininterruptas. Após este tempo (quatro horas), fica imposta aos condutores uma parada para descanso de, no mínimo, 30 minutos, que também podem ser fracionados durante as quatro horas.

E quanto ao  intervalo mínimo de repouso entre uma jornada e outra, este deve ser de 11 horas, podendo ser dividido em um intervalo de 9 horas e as 2 horas restantes em outro período. Este repouso diário poderá ser feito na cabine leito do caminhão, em alojamento ou hotel. Em viagens que ultrapassem 7 dias deve haver um descanso ininterrupto de 36h, que ao menos uma vez por mês deve coincidir com o dia de domingo, essas 36 horas poderão ser fracionadas em 30 e depois mais 6, desde que sejam na mesma semana.  Para jornadas que sejam menor ou igual a 7 dias, o intervalo é de 35 horas. A lei permite o  acúmulo de descanso semanal, desde que não ultrapasse à cento e oito horas. O motorista também tem direito a, no mínimo, 1 hora de almoço.

Responsabilidade do empregador

A partir destes benefícios determinados pela lei 12.619/2012 que a jornada de trabalho e o tempo de direção devem ser controlados, de maneira correta, pelo empregador, que poderá ser por meio de anotação em diário de bordo, papeleta ou ficha de trabalho externo ou de meios eletrônicos idôneos instalados nos veículos, a critério do empregador.

A importância de controlar as horas do motorista de forma correta, se reflete um caráter preventivo, pois todas as informações sobre a jornada de trabalho, pausas, descanso e folgas serão computadas e arquivadas, garantindo maior segurança para o empregador e o motorista, protegendo a todos de acúmulo de passivos trabalhistas.

Tecnologia em apoio ao gestor

Embora os motoristas e a frota como um todo não dominem a tecnologia, é possível que o gestor logístico consiga ter controle das informações e de toda a frota por um único lugar e fazendo uso de uma ferramenta tecnológica.

E uma importante ferramenta para garantir este controle sobre rotas, tempo parado e trajetos é oferecido pela Strada Soluções em Tecnologia. O TMS garante uma gestão de transportes e logística mais efetiva, pois permite ao administrador obter informações ágeis, precisas e confiáveis, possibilitando maior segurança na tomada de decisões geradoras de lucro e retentoras de custo.

Além de realizar o controle de tempos parados, integração com rastreador, montagem de rotas e trajetos, visualização da posição dos veículos no mapa, cálculo de previsão de chegada baseado na rota, análise entre trajetos previstos e realizados e controle de horário de trabalho.

bannerverde

2015-10-14T11:45:16+00:0014/10/2015 às 11:45|Notícias|