SINIAV mudará a forma como o pedágio é cobrado no Brasil

Previsto para o segundo semestre deste ano, o Sistema Nacional de identificação Automática de Veículos (SINIAV) prevê que, através de chips instalados nos veículos identificando suas entradas e saídas nas rodovias federais, os motoristas paguem apenas pelo trecho percorrido nas estradas privatizadas, sem ter de parar nos pedágios, sendo verificados através de um sistema de rádio.

Em fase experimental, os chips já são usados em algumas estradas privatizadas no interior de São Paulo. O governo paulista estima que, no futuro, as tarifas de pedágio poderão cair até 30% em média com a nova tecnologia. Neste sentido, todo o processo de cobrança será realizado de forma mais coerente e justa, evitando excessos já que a base para o calculo será o princípio da origem e destino real dos veículos.

“À medida que a placa eletrônica for implantada em um número crescente de veículos, a utilização desse equipamento para a cobrança eletrônica de pedágio permitirá o aumento da base pagante e a modicidade da tarifa. Nesse momento, prevalecerá o conceito ‘onde todos pagam, todos pagam menos’”, afirma Gil Guedes, consultor técnico da Associação Brasileira dos Concessionários de Rodovias (ABCR).

Com o Siniav, serão instalados chips em todos os veículos do país, em sistema similar àqueles implantados para cobrança de pedágio por empresas privadas (Sem Parar, Conect Car, Auto Expresso e Move Mais). No modelo atual dessas empresas, o chip abre a cancela nas praças de pedágio e registra o custo, sem que o motorista tenha de parar. No futuro, esse mesmo chip vai registrar as entradas e saídas do carro na estrada, enviando a fatura posteriormente ou descontando dos créditos do dono do veículo.

Segundo o Ministério das Cidades, em 2016, todos os carros deverão passar por esse processo de emplacamento eletrônico. O modo como isso ocorrerá, porém, ainda não está muito claro mas, segundo o governo, o projeto permitirá melhorar a segurança, a mobilidade e a produtividade das estradas.

2015-01-19T05:05:17+00:0019/01/2015 às 05:05|Notícias, Strada Express|