Aparentemente as filas para descarregamento de veículos parecem tão normais que chegam fazem parte da vida das empresas e dos transportadores e aparentemente além do estresse e alguns custos parecem não ter impactos maiores.

Por conhecermos bem sobre este assunto e sabermos que apesar de ser comum, está longe de poder ser considerada normal ou cotidiana, resolvemos fazer este artigo que mostra 5 problemas que sua empresa pode estar tendo associados às filas para descarregamento de veículos e que você pode não estar percebendo.

filas para descarregamento

  • (1) Estadia gerada por filas para descarregamento

Os custos que são gerados com estadia impostos pela lei 13.103/15 de carga e descarga dos veículos trazem prejuízos financeiros para a empresa que contratou o frete.

Depois de 5 (cinco) horas de espera do motorista pela descarga do produto o responsável pelo pedido de frete tem como obrigação pagar o valor de R$ 1,38 (um real e trinta e oito centavos) por tonelada/hora para o motorista.

Sendo assim o número de horas contadas desde a chegada do veículo até o descarregamento , ou seja, quando incide estadia este valor é, no mínimo, igual a 5 (cinco) horas.

As filas geradas na entrada da planta são comuns e criam inúmeros atrasos de motoristas aguardando por horas/dias para descarregar o produto gerando estresse e revolta, podendo em casos extremos chegar a pontos como o do vídeo abaixo.

Veja no vídeo:

Segundo a descrição do vídeo, o motorista estava à 8 (oito) dias esperando a nota fiscal sair. Sua revolta foi tanta que descarregou os alimentos em frente ao pátio da empresa.

  • (2) Desorganização e estresse gerado na equipe

No dia-a-dia de qualquer empresa já é uma tarefa difícil manter a organização, imagine então diante da pressão de descarregar uma fila de veículos maior que a capacidade da empresa de recebê-los?

Obviamente ocorrerão problemas, de vários tipos e em vários níveis de gravidade diferentes. Uma coisa será certa diante deste cenário: a equipe responsável por receber estes veículos ficará sobrecarregada, cometerá erros e ficará insatisfeita e estressada.

Podemos citar como desorganização, por exemplo: a permanência de veículos na planta após o descarregamento da carga, prejudicando o fluxo dos veículos e podendo comprometer a segurança da empresa. Este é um exemplo de vários que, apesar de pequenos, quando somados causam grande desorganização nos processos e consequente falta de produtividade.

O principal problema disto tudo, e que muitas vezes acontece de forma invisível, é a rotatividade de pessoas em funções logísticas pelo estresse da falta de planejamento e controle. E esta rotatividade além de gerar ônus financeiro com as rescisões para a empresa compromete o aprendizado organizacional, perpetuando o estado de caos, estresse e baixa produtividade.

  • (3) Horas Extras

Como o nome já diz, é extra. Ou seja, está fora do planejamento ou da rotina normal da empresa e apesar de ser normal existirem horas extras a serem pagas pelas empresas, este número deve ficar dentro de uma quantia que seja menor do que o custo de contratar mais pessoas.

A hora extra acaba acontecendo no processo de descarga porque as filas de entrega para descarregamento geram atrasos nos processos internos da empresa, e para agilizar estes processos e manter a empresa rodando e atingindo as metas esperadas é preciso pagar horas extras para os funcionários darem continuidade no descarregamento, ou, em outros casos acarreta a abertura de novos turnos de trabalho ou a alocação de mais pessoas na operação.

De qualquer forma, seja por horas extras, novos turnos de trabalho ou alocação de mais pessoas na operação, ocorrem gastos para a empresa que em muitos casos não se justificam pois o problema está na desorganização e falta de planejamento logístico para absorver a quantidade de filas para descarregamento de veículos que devem descarregar na empresa.

  • (4) Insatisfação de Fornecedores

Já ouvimos e acredito que você também empresas reclamando de ter que fazer entregas em determinados lugares pois o processo de descarregamento é demorado e desorganizado. Pode até parecer sem importância à princípio, mas quando olhamos de perto podemos ver que as consequências disso podem ser bem reais e nada desprezíveis e podem acarretar em custos maiores do que o necessário para a compra dos produtos.

Estes custos podem aparecer tanto nos serviços de transportes contratados (afinal a transportadora já fará a conta sabendo que terá que esperar uma quantidade grande de horas até descarregar) ou nos produtos onde o frete é por conta do fornecedor, neste caso porque o fornecedor ter dificuldades na contratação dos fretes.

De forma velada ou aberta, uma coisa é certa, os descontos concedidos pelos fornecedores nos processos de compra estão diretamente associados à reputação da empresa tanto em pagar quanto em não “dar trabalho” para o fornecedor, assim como aos volumes negociados.

  • (5) Insatisfação de Clientes

Já o problema com a insatisfação do cliente acontece de forma semelhante ao fornecedor, porém de forma mais grave pois qualquer empresa depende de seus clientes para crescer e se manter no mercado.

Por mais que as filas estejam ligadas ao processo de descarregamento, o transtorno e a desorganização podem impactar também nos processos de carregamento das mercadorias vendidas ocasionando atrasos na saída destes produtos. Estes atrasos precisam ser recuperados durante o percurso da viagem para não se transformarem em atrasos para o cliente.

No caso de atrasos para o carregamento, caso a contratação do frete seja por conta do cliente todos os custos da demora para carregar o veículo afetarão diretamente o bolso do cliente impactando não somente em problemas de atraso, mas também em problemas financeiros. E, com certeza isto não é o tipo de problema que nenhuma empresa precisa com seus clientes.

  • (6) Improdutividade

De que adianta ter um processo de produção perfeito, automatizado e organizado se a matéria-prima que você precisa não consegue ser descarregada na unidade na velocidade e quantidade necessárias para que a produtividade da fábrica seja a maior possível?

Ou então o produto que a empresa precisa receber urgente está atrás de mais de 10 veículos que ainda estão para descarregar? É óbvio que em situações como esta os motoristas com prioridade são orientados a entrar primeiro, o que diminui um pouco a improdutividade mas causa transtorno com os demais que tiveram a “fila furada” e que, com certeza irão reclamar gerando estresse na equipe.

A questão principal da improdutividade aqui é a empresa operar abaixo da capacidade máxima projetada simplesmente por problemas de desorganização logística. Chega a ser irônico, senão trágico, que a parte do processo que deveria ser a mais simples de todas, receber as mercadorias, seja uma das mais problemáticas em diversas empresas.

Para resolver esses problemas existem formas de monitorar os processos por meio de softwares específicos que otimizam e evitam ás filas para descarregamento, com o uso de agendamento nas operações logística do dia-a-dia e integra transportadores, fornecedores e clientes.

Confira também uma ferramenta que otimiza as operações de carga e descarga dos transportes rodoviários:

Carga Pontual