Num cenário que parece contrário e nada favorável, temos a sensação que não existe uma luz no fim do túnel. Mas a situação pode ser melhor do que parece, algumas oportunidades para o setor logístico e para empresas que trabalham com logística estão se delineando para este ano e o próximo.

No mês de agosto de 2012, o Governo Federal brasileiro lançou um programa que visava investimentos em logística: o “PIL” (Programa de Investimentos em Logística). Neste programa estavam inclusos projetos para o desenvolvimento de um sistema de transportes moderno e eficiente. Estes projetos seriam conduzidos por meio de parcerias com o setor privado promovendo sinergias entre os modais rodoviário, ferroviário, hidroviário, portuário e aeroportuário.

Projeto de concessões

E, no mês de junho deste ano, a Presidente Dilma Rousseff, anunciou  a continuação deste programa. Já falamos sobe isso nesse artigo no Blog da Strada. Uma nova etapa que visa alavancar o crescimento da economia, gerar novos empregos e melhorar serviços de aeroportos, rodovias, ferrovias e portos.

Esta nova fase “do projeto” marca uma grande oportunidade para o setor logístico. Cerca de 20 estados e 130 municípios serão beneficiados. Estas melhorias veem para atender ao crescimento na produção de grãos, na frota de veículos e no número de passageiros em voos dos últimos 15 anos. Os serviços serão concedidos a empresas privadas por um determinado período de tempo, tendo o compromisso de mais investimentos e da cobrança de menor tarifa pela prestação de serviços.

Estradas

Concessões serão feitas e as obras darão início em breve, segundo o projeto. Os recursos previstos para rodovias são de R$ 66,1 bilhões. Para ganhar a concessão, as empresas devem oferecer o menor valor para tarifa de pedágio e prever investimentos em melhorias

No próximo ano, o governo pretende leiloar 11 projetos novos que somam 4.867 quilômetros de estradas. O investimento previsto é de R$ 31,2 bilhões. A nova etapa do pacote de rodovias tem uma parcela de R$ 15,3 bilhões, a serem direcionados para concessões já existentes. São investimentos que beneficiam tanto agricultores, como usuários de automóveis. O programa tem como base prover uma malha rodoviária ampla, moderna e integrada.

Portuário e Ferroviário

As concessões de portos e ferrovias têm impacto maior para as empresas, principalmente na agricultura para exportação. O programa prevê R$ 37,4 bilhões nos serviços portuários. Um total de R$ 14,8 bilhões deve ser investido em novas autorizações para 57 Terminais de Uso.

As ferrovias poderão ter investimentos de R$ 86,4 bilhões. Uma parcela de R$ 12,7 bilhão vai para o projeto da Norte-Sul. Outros R$ 16,4 bilhões estão previstos para concessões já existentes. O governo espera uma ampliação de capacidade de tráfego, novos pátios, duplicações, construção de novos ramais e aumento de frota.

Para o setor ferroviário, o programa, possui as mesmas diretrizes que das estradas, busca prover uma rede ferroviária ampla, moderna e integrada. Já para os portos, a ideia é reorganizar os portos e construir planejamentos a longo prazo.

Aéreo

Outro segmento que afeta diretamente a vida da população são os aeroportos. Na primeira fase do programa de logística, foram concedidos à iniciativa privada os aeroportos de Brasília, Guarulhos, Rio de Janeiro (Galeão), Campinas (Viracopos), Belo Horizonte (Confins) e Natal (São Gonçalo do Amarante). Foram aplicados R$ 26 bilhões.

O investimento da nova etapa dos aeroportos será de R$ 8,5 bilhões, voltados para concessões de Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, além de sete regionais (Araras, Bragança Paulista, Itanhaém, Ubatuba, Campinas/Amarais, todos no estado de São Paulo; e Caldas Novas, em Goiás).

O programa busca melhorar a qualidade dos serviços, a infraestrutura dos aeroportos e reconstruir a rede de aviação regional.

O governo tem dado atenção para tornar o transporte mais ágil e as  estradas mais eficientes, mas você gerencia isso?

As medidas por parte do Governo Federal estão sendo tomadas, grandes mudanças e oportunidades estão por acontecer, mas a sua empresa está preparada? Aproveitar essa situação de melhoria para crescer ainda mais tem que estar relacionada com um melhor gerenciamento da sua frota, conhecimento sobre ela, e, principalmente, em gerenciar o tempo dos caminhões e das cargas, para que o tempo ganho nas estradas não seja perdido em filas.

Pensando nisso, a Strada Soluções, conta com o Carga Pontual, que é uma solução eficiente para toda a Cadeia de Suprimentos, Logística Integrada e Operações de Inbound e Outbound. Ele tem como objetivo principal evitar filas, concentração de veículos no pátio ou planta das empresas, portos ou cooperativas e perda de tempo por meio do agendamento prévio de horários.