O setor logístico tem atraído jovens investidores durante a crise econômica brasileira

Não é novidade para ninguém que o nosso país vive momentos de crise econômica, e que a situação parece se delinear de forma negativa para muitos setores da economia brasileira. A logística parece estar inserida neste contexto. Desde o começo do ano presenciamos caminhoneiros e motoristas realizando greve para reivindicar melhores condições de trabalho e para que o preço do combustível reduzisse.

Assim, percebemos que a logística brasileira se apresenta como um grande gargalo, pois apresenta diversas situações que ainda não foram modernizadas, melhoradas ou adequadas e que merecem atenção para que esta se transforme numa parcela ainda mais importante, economicamente falando.

E, para que isto aconteça, investimentos precisam ser feitos na área.

Em meio a todo este contexto econômico, grupos de empreendedores tem dado atenção ao setor em busca de melhorias que possam renovar a área. Eles tem enxergado oportunidades no lugar de dificuldades.

Temos certeza de que mesmo em meio à crise diversas áreas da economia brasileira continuam recebendo investimentos, mas o que pode ser visto de diferente nos empreendedores que resolveram voltar os olhos para a logística, diferente do tradicional que é visto nesse ramo, é a idade. São jovens, com média de 27 anos de idade.

Aline Crivellar é uma das que viram na logística um potencial de investimento. Ela trabalhava no mercado de tecnologia, mas hoje, com 27 anos é co-fundadora do Grupo Har e afirma que a área de logística, principalmente, foi a que mais chamou atenção do Grupo Har. Eles fizeram um estudo de mercado e viram o quão deficiente de tecnologia e inovação esse setor é, além dos custos operacionais muito elevados.

Outro exemplo que podemos citar é o da LoteBox, que é uma startup formada por dois jovens empreendedores que se propuseram a inovar na distribuição e na logística marinha. O sistema da LoteBox mostra diversos carregamentos à disposição dos interessados por um determinado prazo de tempo. Os importadores podem ver o volume disponível e colocar suas compras lá. Vale ressaltar que a divisão do pagamento do contêiner não é proporcional ao espaço utilizado por quem contrata o serviço.

A avaliação realizada por Aline a respeito do setor de logística no Brasil tem base em  números assustadores. Segundo estimativa da Confederação Nacional de Transportes (CNT), o País precisaria de 1 trilhão para solucionar os problemas logísticos. Já a Associação do Comércio Exterior do Brasil (AEB) diz que o custo logístico médio no País pode chegar a 11,8% do PIB. No caso das empresas, os gastos logísticos consomem até 11,19% da receita, segundo pesquisa de 2014 da Fundação Dom Cabral.

Podemos perceber que o mercado parece arriscado, mas a ação de Aline e seus sócios, Henrique Sassi e Rafael Barbosa, já tem mostrado resultados positivos. O Grupo Har teve início em janeiro de 2015 e de lá para cá o crescimento já gira na casa dos 60%. Além disso, a holding que atua nos setores de Tecnologia, Informação, Inteligência Logística e Transporte, Incorporação de Franquias, Construção Civil e Saúde já contabiliza cases de sucesso.

Além de investir e auxiliar as empresas, o Grupo formado pela jovem e seus sócios realiza um acompanhamento em tempo real das frotas, desde o momento de saída do veículo, seu trajeto, entregas efetuadas e o tempo gasto em cada uma delas. Isso significa redução de custos, o que acaba impactando no preço final, pois os gastos com logística são um dos principais encarecedores dos produtos. (http://www.stradasolucoes.com.br/novo/usando-a-tecnologia-para-obter-maior-controle-sobre-o-centro-de-custo-por-veiculo-afim-de-reduzir-custos/)

Podemos perceber que além dos investimentos para o setor, um fator que pode ser o responsável pela melhoria de muitos processos dentro da logística, é o uso da tecnologia. E, para ter um maior controle sobre toda a frota desde o momento que sai do pátio da empresa, seu trajeto e os horários das entregas, vale-se se usar de um sistema de agendamento de cargas.

E, a Strada Solições em Tecnologia tem como base um movimento que visa um Brasil mais justo por meio da Logística, este movimento propõe alternativas para sanar os gargalos logísticos do país. Dentro deste movimento auxiliamos a sociedade com softwares tecnológicos que permitem uma maior integração das operações logísticas, é por isso que disponibilizamos um e-Book gratuito sobre como o agendamento de cargas pode ser uma solução para toda a cadeia de suprimentos.

banner2

2015-11-18T08:05:33+00:0018/11/2015 às 08:05|Notícias|