O que é DRP?

Neste conteúdo iremos falar de uma ferramenta chamada DRP, o termo da sigla em inglês é Distribution Requirements Planning, traduzindo para o português o seu significado é Planejamento de Requisitos de Distribuição.

DRP

A ferramenta DRP é utilizada como mecanismo para registrar informações. Segundo a lógica do seu papel é de coletar e processar os dados necessários, ao longo de toda a cadeia de suprimentos, para melhor atender as demandas especificas de cada ponto de venda, através de uma programação da produção e de uma distribuição mais eficaz.

Como funciona?

Segundo Martin (1995), o Distribution Requirements Planning (DRP) é um processo de gestão que determina as necessidades de cada centro de distribuição (CD) e garante que as fontes de fornecimento conseguirão atingir a demanda.

Primeira etapa

Então para um melhor funcionamento no centro de distribuição (CD) a ferramenta DRP faz uma ligação entre os produtos que já estão armazenados na rede varejista e atacadista entre os pontos de venda.  Por esta razão, a ferramenta elabora recomendações de como, quando e quanto cada mercadoria será enviada a cada unidade com base de alguns processos  como:

  • Previsão de vendas por unidade de armazenamento por CD;
  • Ordens para entregas presentes e futuras;
  • Estoque disponível para venda por unidade de armazenamento e por CD;
  • Ordens de compra e de produção pendentes;
  • Lead time de logística, produção e vendas;
  • Modais de transporte e frequências de entrega;
  • Políticas de estoque de segurança por unidade de armazenamento e por CD;
  • Quantidade mínima de produto a ser comprada, produzida e distribuída.

Segunda etapa

Após todos os dados de entrada, o DRP gera um modelo time-phased de requisição de recursos necessários para estabelecer as estratégias logísticas, incluindo:

  • Qual produto é necessário, em que quantidade, em que lugar e em que período;
  • Capacidade de transporte necessária por modal por CD;
  • Estrutura de armazenagem, mão de obra e capacidade de equipamentos por CD;
  • Investimentos em estoque necessários por CD e no total;
  • Nível necessário de produção/compras por produto e por fonte de fornecimento.

Terceira etapa

Depois desta análise o DRP compara os recursos necessários com o que está sendo oferecido pelas fontes de fornecimento no momento e com o que será oferecido no futuro.

Portanto, o processo recomenda quais ações devem ser tomadas para acelerar ou atrasar a produção ou compras, sincronizando, portanto, oferta e demanda.

Veja um exemplo do DRP , adaptada de Ross (1948).

DRP

Neste padrão proposto, são cinco as informações principais que constituem o DRP:

Necessidade Bruta

O termo significa a previsão de vendas e pedidos para um determinado item. Se o item é um produto em um armazém, ou em um centro de distribuição, a necessidade bruta é equivalente à previsão de demanda. Se o item deve ser manufaturado ou comprado, a necessidade bruta é o que precisa ser satisfeito pela produção ou pelos fornecedores.

 Recebimentos Programados

São as quantidades programadas para chegar aos estoques, geralmente em trânsito, a caminho do estoque. Alguns itens podem estar ainda na sua origem, esperando para serem transportados, mas, mesmo que ainda não estejam “em trânsito”, são considerados recebimentos programados. Como esses produtos já estão acabados, serão considerados parâmetros no problema de controle de estoques, e não variáveis de decisão, como os recebimentos planejados.

Estoque Projetado

É a quantidade em estoque que estará disponível para ser vendida no período seguinte. Portanto, leva em consideração tanto os Recebimentos Programados quanto os Recebimentos Planejados.

Recebimentos Planejados

Ordens que ainda estão na fase de planejamento e que ainda não foram liberadas, diferentemente dos Recebimentos Programados, que já estão sendo transportados ou em vias de. Nesta linha, as ordens são identificadas no período em que deverão chegar aos estoques. Por exemplo, na Tabela 4, o recebimento planejado dos 1000 itens embarcados será no período 4.

Embarques Planejados

Tratam-se das mesmas quantidades da linha “Recebimentos Planejados”, mas, dessa vez, identificadas no período em que começam a ser produzidas, compradas, ou embarcadas. Ou seja, são os Recebimentos Planejados defasados no tempo pelo lead time. Por exemplo, na Tabela 4, os 1000 itens começarão a ser produzidos (ou comprados, ou embarcados), no período 2, para chegarem aos estoques apenas no período 4.

Concluindo

Sendo assim, o DRP é mais um recurso altamente eficiente que veio para ajudar o varejista com o grande volume de produtos e informações que existem e são gerenciados. Um outro benefício do DRP é a redução de estoques, que permite deslocar o capital que estava empregado na armazenagem excessiva em ações mais rentáveis à empresa.

Tem interesse sobre Lead Time o que é e como calcular? Saiba agora mesmo!

Lead Time

Fonte: HANNAH