Os Centros de Distribuição, conhecidos também como “CDs”, são utilizados para viabilizar de forma competitiva o fluxo de mercadorias que chegam dos fabricantes. Quem é administrador de empresas ou atua no setor de logística, sabe o quanto eles podem causar transtorno se mal gerenciados.

Quais os desafios dos centros de distribuição?

Como forma de conseguir gerar valor, as empresas com gestão de logística avançada têm aumentado o foco na administração dos CDs, seja para reduzir custos, coordenar oferta e demanda, auxiliar no processo produção e/ou ajudar no processo de marketing.  Esses dois últimos pontos têm ganhado atenção especial dos gestores, pois eles assumem uma perspectiva de enxergar o cliente como uma pessoa real, exigindo qualidade nos serviços prestados.

centros de distribuição

A volatilidade econômica resulta na complexidade operacional. Alguns fatores contribuem para superar esses desafios, como:

  • Pedidos cada vez mais frequentes,porém em quantidades menores;

  • Ciclos de pedidos curtos, devido as mudanças rápidas no mix de produtos;

  • Aumento de estoques de produtos e competição baseada no clico do pedido e da qualidade.

Diante dos fatores citados, os serviços necessitam de sistemas de alto controle de precisão para controlar, processar e dar agilidade a movimentação e materiais.

Controle de Qualidade

Dessa forma, os centros de distribuição precisam aumentar as operações de recepção e distribuição, controlar a qualidade e validade e produtos, aumentar o imobilizado com estoques mínimos necessários, investir em automação, pessoal, sistemas de informações e controle, monitorar a área de espaço de armazenamento e ter operações 24 horas por dia, para garantir agilidade e rapidez no recebimento e expedição.

Os armazéns tradicionais podem perder competitividade se não conseguir atualizar operacionalmente, ocasionando falhas nesse processo. Alguns problemas como pedidos incompletos, operações de retrabalho, dificuldade na localização de produtos e inventários físicos demorados podem surgir.

Seria importante ressaltar que cada tipo de família dos produtos necessitam de estruturas funcionais de Centro de Distribuição diferenciadas, pois um CD que distribui cimentos é diferente de um que distribui medicamentos.

Tempo de Reposição

Por isso, alguns pontos precisam ser analisados, como o tempo de ciclo do pedido, que vai desde a recepção a entrega completa do produto; o ciclo de tempo para reposição do CD, que é o tempo de reposição para o CD para cada remessa, dividido pelo total de remessas; a taxa de atendimento de pedidos e produtos; os dias em estoque de produtos acabados e o tempo de atendimento a pedidos de emergência.

Mão de Obra

Outro desafio enfrentado é a questão da mão de obra. O crescimento econômico das empresas resulta no aumento da mão de obra. Porém, o aumento da escolarização dos profissionais dificulta o processo de contração e retenção de pessoas para funções operacionais.

A rotatividade de pessoas afeta na produtividade e desempenho operacional. Uma solução que as empresas vêm adotando é a remuneração variável por produtividade. Assim, os trabalhadores se sentem motivados na execução das tarefas.

Nessa hora é possível contar com ajuda da tecnologia da informação. Hoje existem softwares que torna ­possível mensurar o desempenho de cada operador, identificar os tempos ociosos, realizar comparativos entre eles de forma justa, ­realizando análises e tomando ações que permitam aumentar a produtividade e melhorar a performance do armazém.

Podemos concluir

Se os centros de distribuição estão causando dificuldades de gerenciamento dentro da empresa, é preciso rever a administração deles. Mesmo as empresas que tem uma boa gerência podem melhorar ainda mais a gestão e realmente transformar os centros de distribuição em um “bem necessário” produtivo e acelerador do crescimento.

 Gostou da matéria? Então saiba mais sobre Logística Integrada: O que é e como pode beneficiar sua empresa!

Logística Integrada

Fonte: Tecnologística e BPLog.