Depois de uma extensa e indefinida reunião no dia 26 de março, caminhoneiros, embarcadores e governantes, terão um novo encontro no próximo dia 22 para discutir sobre a tabela de frete apresentada no mês passado.

Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), será realizada uma nova reunião para a verificação da legalidade do tabelamento, que precisa ser constatado como constitucional. Os transportadores insistem na elaboração de uma tabela de referência, e procuram apoio para que ela seja criada através de uma lei ou emenda, impossibilitando assim que a justiça a derrube.

Nada satisfeitos com a demora de decisão do governo, Representantes do Sindicato dos Transportadores de Carga alegaram que caso não haja um acordo positivo, uma nova paralisação ocorrerá já no fim do mês. “Inconstitucional é a fome, é não dar sustento para sua família’’ , complementou indignado Carlos Alberto Dahmer, representante do movimento no sul do Brasil.

Em relação à anistia das multas aplicadas durante a greve de fevereiro, o governo tirou de si a responsabilidade, julgando não ser de sua competência já que elas foram determinadas pelo Poder Judiciário.

Devemos estar preparados para mais um caos nas estradas?

Fonte: Setcesp.org.br