Como eliminar os desafios da logística no e-commerce no Brasil (parte 2): questões táticas, operacionais e estratétigas

Como vimos no texto anterior aqui no Blog, o e-commerce vem se consolidando como uma das mais importantes formas de compra da sociedade atual.  E as empresas que trabalham com logística ou transporte precisam se preparam para obter sucesso nesta nova área.

Dando continuidade ao tema, e em como as empresas podem se prepara para esta situação, o tema abordado hoje será sobre como a empresa pode separar os assuntos pertinentes ao e-commerce em questões estratégicas, táticas e operacionais na operação logística no e-commerce.

Quando separamos os assuntos em níveis hiearárquicos dentro da empresa, estamos de forma ampla falando da gestão de transportes e as principais decisões que envolvem o tema. Quando ela está voltada para o e-commerce, os embarcadores podem se deparar com diversos dilemas que, normalmente, estarão relacionados ao modelo operacional ou modelo de negócio da empresa.

Podem surgnir para a equipe de logística indagações como: “Devo envolver competências da gestão logística ou transferi-las para os parceiros, concentrando meus esforços no core bussines da empresa?” ou “Operar com frota própria ou com terceiros? Ou um modelo misto?” Entre tantos outros.

Estes questionamentos não possuem uma resposta direta e estas situações apresentam prós e contras, cabendo as organizações decidirem a melhor forma de agir. Podemos, nesse contexto, auxiliar e dar direcionamento na maneira como se deve agir em cada nível hierárquico, separando em: questões táticas, operacionais e estratégicas.

Nas questões estratégicas, normalmente há deliberações sobre o modelo de negócio que a empresa deseja seguir e orçamentações. Respostas relacionadas a como a empresa irá se organizar, concentração de esforços, alocação de orçamentos para setores e análises de core business fazem parte da área estratégica. Normalmente, nesse âmbito está o planejamento estratégico, que dita as orientações que devem ser seguidas nas questões táticas. Por exemplo, a Diretoria em nível estratégico pode decidir se utilizará frota própria ou terceirizada, após isso, no âmbito tático (como está descrito no próximo parágrafo) cabe a equipe gerencial analisar a melhor forma de colocar isso em prática planejando seus projetos.

Nas questões táticas, temos decisões relacionadas a forma como o modelo de negócio será implementado. Por isso, para se chegar a uma conclusão da melhor forma de agir, é necessário estar atento a alguns questionamentos que serão capazes de avaliar o perfil da sua empresa e qual a sua capacidade de ação. Saiba qual o perfil mais adequado das empresas de transporte para as parcerias que poderão ser estabelecidas e avaliar os potenciais acordos fazem parte desse aspecto. Descubra a melhor forma de dividir geograficamente as transportadoras e qual o tamanho da frota que irá trabalhar para atender a demanda prevista. Estabeleça quais metas se deve cumprir e com quais indicadores de desempenho irá medi-las. E, de que forma as informações podem ser integradas uniformizando conceitos junto à todos os parceiros.

Dentro das questões operacionais, os padrões relacionados a atividades ligados a operação devem ser adotados. Padrões para a emissão de documentos, como apurar os indicadores de desempenho e gerar relatórios diários. Escalas de trabalho e alocação da tripulação devem ser bem definidas e visuais, juntamente com o método de designação e alocação dos veículos. E usar da métodos efetivos para a roterização e rastreamento das cargas de forma a eliminar riscos operacionais.

E, no transporte de cargas do comércio eletrônico é vital que algumas competências sejam solidificadas nas atividades que envolvem dimensionamento da malha operacional, contratação do transporte, planejamento e execução de embarques, otimização da capacidade disponível, relatórios de desempenho do transporte, gerenciamento de risco e logística reversa.

Analisando todas estas ações, a tecnologia se torna uma forma eficiente de colocá-las em prática. Pois, ao usar softwares especializados diminui-se o esforço e ainda otimiza a gestão de transportes pois coloca-se um fim na burocracia ao se utilizar inúmeros documentos impressos e manuais.

Um software inteligente que seja capaz de auxiliar na tomada de decisões está disponível para os operadores logísticos do e-commerce. Strada Soluções em Tecnologia, dispõe de uma solução inovadora, o TMS Strada, que permite um maior controle sobre os veículos, pois permite a análise de custos, como de pneus, as melhores peças para os caminhões e ainda monitorar a frota de forma eficiente possibilitando uma tomada de decisões mais precisa e efetiva.

Ainda esta semana publicaremos mais um texto contento mais desafios do e-commerce. Não perca.

2015-10-27T07:33:10+00:0027/10/2015 às 07:33|Notícias|