Como a calibragem dos pneus com Nitrogênio pode ser vantajosa para o transporte rodoviário?

Quando se fala em manutenção de transporte, pode-se relacionar com as partes de um veículo, como pneus, óleo, os freios, as peças e acessórios. E, qual forma prevenir que algo dê errado? O meio mais adequado é realizar revisões periódicas e sistêmicas dos veículos.

Para manter as partes do veículo sempre funcionando, da melhor forma possível e sempre atento para que não gere algum risco para o motorista, é preciso estar em constante atualização com que existe de tecnologia e melhoria para os transportes.

Mas tratando-se dos pneus, qual a melhor forma para calibrá-los que sua vida útil possa ser estendida?

Normalmente, os pneus são calibrados com Oxigênio, mas, o vapor da água contido no ar comprimido, faz com que a pressão dos pneus mude constantemente, conforme a temperatura passa a aumentar. Uma alternativa para driblar que este tipo de situação aconteça é, na hora de calibrar os pneus, usar Nitrogênio ao invés do oxigênio.

O Nitrogênio é um gás inerte, ou seja, não reage com outras substâncias, além de ser um gás limpo e abundante. É muito fácil de ser encontrado no ar atmosférico, pois em sua composição, apresenta cerca de 78% de nitrogênio e 21% de Oxigênio, e o restante, por outros gases. Sua molécula é, aproximadamente, quatro vezes maior do que a do Oxigênio, o que o leva a ter uma capacidade de permeabilidade menor através da borracha e lona dos pneus.

E quais são as vantagens de trocar o Oxigênio pelo Nitrogênio na hora de calibrar os pneus?

Pressão dos Pneus

O gás é capaz de manter a pressão do pneu constante em todas as temperaturas e, caso ocorra alguma alteração na pressão, ela será mínima. A grande vantagem do nitrogênio em relação ao ar comprimido é que ele não se dilata, o que ocorre bastante com o Oxigênio, uma vez que em sua composição a umidade é elevada, ou seja, quando aquecido ocorre evaporação e, em consequência, o aumento da pressão. Já o nitrogênio mantém a calibragem por mais tempo, facilitando a vida do motorista que vai precisar verificar a pressão menos vezes, se comparado ao uso do ar comprimido. Os caminhões, por serem muito grandes e pesados, apresentam um nível de pressão muito alto, assim existe um potencial muito grande de  promover uma infiltração e migração do oxigênio por meio da borracha e estrutura do pneu, o que leva a uma perda de pressão mais acelerada do que na calibragem com Nitrogênio.

Vida útil dos Pneus

A vida útil dos pneus está relacionada a fatores externos e internos. Os fatores externos estão associados a condições que podem ser consideradas acidentais ou circunstanciais, como, por exemplo, impactos causados por buracos, elementos perfurantes, pavimento do trajeto percorrido pelo veículo, tipo de carga que ocupa limite de peso de veículo. Estes fatores, estão fora do controle do operador logístico. Mas, existem fatores internos que estão sob controle do operador de frotas: treinamento operacional continuado dos motoristas, procedimentos de alinhamento e geometria da suspensão, manutenção das molas e amortecedores e balanceamento dos pneus. E, dentro destes fatores, podemos avaliar, o uso do Nitrogênio para a calibragem dos pneus com um alto impacto na vida útil destes. Devido a capacidade de manter pressão constante, este gás permite aos pneus uma maior durabilidade, principalmente os pneus de caminhão, devido ao maior tempo de rodagem e temperaturas, mas claro, dependendo das condições de uso.

E como controlar quando a manutenção dos pneus precisa ser feita?

Para potencializar o ganho de durabilidade de pneus com o uso do Nitrogênio na sua calibragem, o operador logístico ainda precisa fazer a correta gestão de prazos de revisão e manutenção das demais partes do veículos,  para que nenhum tipo de dano possa ser causado ao motorista, a carga e a empresa logística que trabalha com este caminhão.

Pensando nisso, a Strada Soluções em Tecnologia, oferece às empresas de transporte o TMS Strada, uma solução inovadora, que permite que as empresas foquem em seu próprio negócio, sem necessidade de preocupação com as tecnologias que envolvem toda a gestão de transportes e logística. E permite que a empresa programe rotinas de manutenção preventiva, o que viabiliza a redução de custos com manutenção e diminua o número de manutenções corretivas.

bannerazul

 

2015-09-09T11:00:29+00:0009/09/2015 às 11:00|Notícias|